Quinta-feira, 2 de Junho de 2011

Passear pela marginal Douro da Régua ao Pinhão, acompanhando o percurso de um dos barcos turístico é uma boa sugestão para visualizar a simbiose encantadora entre o enorme rio que vai desaguar na cidade do Porto, os montes e vales do Douro e o meio de transporte turístico, que de certeza delicia as almas que vão apreciando as infinitas paisagens que surgem a cada instante.

As belas encostas em socalcos do vale do Douro, onde se visualizam os vinhedos e laranjais, começam perto de Barqueiros, prolongando-se até Barca d’Alva e oferecem uma das mais expetaculares paisagens, fruto da natureza e intervenção do homem.

 

No filme que apresento surge um barco a aportar no cais da Régua. Imediatamente se acercam mulheres da terra com cereja e rebuçados da Régua para vender, ciganos a vender chapéus em consequência do sol quente já presente no mês de Maio. É uma confusão quando se cruzam passageiros com destino à Régua e outros que iniciam viagem mais para o interior, para a zona do Pinhão ou então, até Barca d’Alva.

 

 

Saio no meu automóvel, em direcção ao Pinhão pela Estrada nacional sempre ribeirinha ao Douro, acompanhando o pachorrento barco turístico, procurando pontos de cenários destacáveis para as filmagens.

Lá vai ficando a Régua para trás com as suas três pontes altaneiras. Momento interessante, este, o passar junto aos pilares fortes e altos destas três obras de engenharia.

A cidade e o movimento do cais na Régua expontâneamente desaparece.

De imediato surge a verdadeita paisagem Douriese com a Natureza a proliferar com os seus montes e vinhedos a destacarem-e até ao Pinhão.

 

Um passeio com duração de pouco mais de uma hora; é sempre possível vizualizar as várias manobras de subida do barco na barragem da Régua.

É vencido o desnível de 27 metros através de um elevador de 12 metros de largura e 90 de comprimento, onde os barco entram;  uma comporta é depois encerrada entrando a água e elevando a embarcação que está amarrada a uns ganchos que vão subindo de acordo com o nível de água. Vinte minutos até que todo este trabalho se realize. Vê-se sobretudo aos fins de semana muita gente a observar esta subida pela ponte da barragem e a apreciar todo o cenário.

 

 

A viagem prossegue rio acima, com a visão do vale em constantes espetáculos diferentes à medida que prossigo para o Pinhão.

À nossa esquerda lá vai o barco ganhando velocidade, deixando um rasto ondulante para ambas as margens.

Chego ao cais da Folgosa, antecipando-me à passagem do barco e à procura do melhor cenário para captar as imagens de video.
Na esplanada envolvente do restaurant DOC, há estrangeiros a saborear uma refeição; algumas pessoas, provavelmente turistas conversam junto ao varandim mesmo por cima do rio.
Em volta deste edifício do restaurante DOC sobre o Douro, vizualiza-se um inimaginável cenário do vale: encostas de vinhas com os seus característicos socalcos, uma diversidade de quintas, o grandioso rio a espelhar reflexos fieis das margens. Do outro lado da margem, Covelinhas, uma aldeia no sopé da montanha, que só a passagem do comboio lhe faz reparo.

Lá mais para montante, observo a Quinta de Santo António, já no concelho de Tabuaço, no alto de Santo António da freguesia de Adorigo, muito priveligiada em estar de face virada para o rio.

À beira da estrada visualizam-se tabuletas com as indicações “vende-se vinho” e “vende-se azeite biológico””, num chamariz sedutor à compra.

 

O Pinhão, está logo mais à frente. Sente-se também ali uma certa magia, não estivéssemos nós no epicentro da mais antiga região demarcada do mundo e, Património Mundial pela UNESCO.

Até lá, o meu automóvel leva-me aínda por um serpentear das curvas que , após uma incansável e sedutora paisagem, me apresenta uma ponte em estrutura metálica, da autoria de Eiffel, a facultar a travessia Douro para a sua margem direita, já então na freguesia do Pinhão.

Aqui, observo logo à entrada, e na estação de caminhos de ferro, uma das mais lindas de Portugal, e onde ninguém fica insensível perante a beleza e a descrição dos seus 24 painéis de azulejos, qa retratar o quotidiano da cultura do vinho.

Aqui durante o Verão a vitalidade é imensa. É o comboio, são os barcos repletos de turistas, é a passagem de Tràs-os-Montes para a Beira Alta, enfim, um ponto de paragem a centenas de pessoas que passam e param diàriamente. 

Aqueles que preferirem partir de encontro à degustação de sabores de vinhos do Douro, apenas precisam de caminhar um pouco para chegar ao Vintage House Hotel, ou então a um espaço comercial no interior da Estação de Caminhos de Ferro.

E foram cerca de 25 Km de carro, de comboio, ou de barco, a separar o Pinhão da Régua.

A concluir que, embora no filme de hoje que apresento, tenho como cenário “o barco a percorrer o Douro”, qualquer que seja o transporte: automóvel, comboio ou barco, os cenários de imagens explêndidas são semelhantes, repetem-se e multiplica-se com as pacíficas águas do Douro a marcar a paz do nosso passeio e bem estar.

 



publicado por valores-do-douro-sul às 12:15 | link do post | comentar

António José Leitão Canotilho

Cria o teu cartão de visita
artigos recentes

Ciclovia do Dão - um perc...

As nossas crianças

Grupo de Cantares de Carr...

Ponte do Abade - procissã...

Aguiar da Beira - desfile...

Aguiar da Beira - feira d...

Paredes da Beira, uma luf...

Paredes da Beira, São Joã...

Vesúvio, Douro e o comboi...

RIODADES, a comemoração p...

Banda Filarmónica de Riod...

Riodades, a Procissão de ...

Vilar, Rancho folclórico ...

Atuação da Banda de Rioda...

Em Covelinhas, Régua e na...

A locomotiva a vapor A 18...

A ponte do comboio e os t...

2008 - Feira Aquilineana ...

Medalha de Ouro da Cidade...

Grupo de Cantares de Barc...

Nª Senhora do Sabroso - A...

Pinhão, Domingo 27-08-17,...

Faia

Identidade cultural de Vi...

Granja do Tedo, aldeia de...

Macieira, aldeia de Serna...

Cultura é Património - Gr...

Os nossos Velhinhos de Se...

A Régua, o Comboio em Cov...

A Estação do Tua e o Dour...

A identidade Cultural de ...

A festa do 15 de Agosto d...

O Douro e o comboio - da ...

Foz do Távora à Quinta da...

De Soutelo do Douro para ...

Covelinhas e Pinhão - o c...

1985 - Primeira Comunhão ...

A Primeira Comunhão e Com...

A primeira Missa do Sacer...

Rancho Folclórico de Arna...

A feira Aquiliniana da La...

Barqueiros, o Douro e o C...

Voltando às lagaradas de ...

Da estação da Alegria no ...

As Lagaradas de Celeirós ...

Linha férrea do Douro: da...

Favaios, festa vinhateira...

O Grupo de concertinas de...

O Vesúvio no Douro

Linha do Douro entre Arno...

tags

"grupo de cantares de s. miguel"

11 de setembro

1985 - comunhão em vila da ponte

a crise de valores

a estação de caminhos de ferro do vesúvi

a luta

a sé e a srª dos remédios

a vida

aguiar da beira desfile etnográfico

aguiar da beira feira atividades economi

alexandre fandino

alma feminina

almas do douro

alto da escrita

amigos

amizade

andar a pé

antónio cabral do douro

antónio canotilho

arcozelo da torre

armamar

arnas

as nossas crianças

associação de acordeonistas do távora e

atuação banda riodades 2008

banda de riodades

banda filarmónica de lalim

banda filarmónica de nagoselo do douro

banda filarmónica de pinhel

barco douro

barco moliceiro

barcos

barcos tabuaço

barqueiros e o douro

barragem de bagaúste

barragem do vilar

barragens do douro

bombos barcos

caça fotográfica

caminhar

cantadores de janeiras

cantadores de janeiras de s. marta de pe

caretos de bragança

carnaval de bragança

carnaval de lazarim

carrazeda de anciães

castelo

castelo de ourém

cavalhadas de vildemoinhos

ciclovia do dão

cidadania; civismo

coimbra e o mondego

coisas simples da vida

comboio a vapor

comboio a vapor do douro

comboio a vapor pinhão

comboio da rede à quinta das carvalhas

comboio do douro

comboio do douro foz do távora

comboio do douro quinta da romaneira

comboio histórico do douro

comboio miradouro no pinhão

comboio no ferrão; vapor no ferrão; vapo

comboio presidencial

comboio régua a lamego

comboio vapor

comunhão solene vila da ponte 2008

concertinas de riodades

concerto de amor

contadores de histórias do douro

douro

douro vinhateiro

farminhão

feiras novas

ferradosa

festa do 15 de agosto

festa vinhateira de barcos

folclore

grupo coral de barcos

grupo de cantares de constantim

grupo de cantares de fornelos

grupo de cantares de vila real

lamego

linha do douro

moimenta da beira

nossa senhora da agonia

orquestra ligeira câmara tarouca

penedono

pinhão

ponte de lima

procissão do mar

rancho folclórico do vilar

rede

ribeira do porto

santa marta de penaguião

são joão da pesqueira

sernancelhe

tabuaço

tuna de tabuaço

via sacra de ourém

todas as tags

arquivos
participar

participe neste blog

Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


mais sobre mim
links
blogs SAPO
comentários recentes
Eu gosto da sua contribuição, saudações
Ola eu sou a isabelle gonçalo e sou da bals...
Muitos Parabéns Dr. António Canotilho!!!De facto o...
Parabéns, Dr. Canotilho e mais uma vez obrigado pe...
Em nome do Grupo de Cantares de Fornelos, quero de...
Obrigado, muitos cumprimentos
Obrigado Dr Canotilho, será colocado no próximo do...
Boa tarde Sr Gabriel Obrigado pelas suas palavras,...
OláUm texto fantástico generoso pela partilha de c...
Parabéns pela página!Está estrondosamente linda e ...
Sondes tonos
E muito bonito
Olá Uma excelente e oportuna reflexão... um texto ...
O granjal e terra mais bonita nas tradisoes
Son una buena banda a mi parecer los escuche una v...
Sem palavras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Maravilhoso todo...
Obrigado.Vou avaliar e apreciar o seu blogCumprime...
Muito interessante este seu blog.:)
olá Sr. Doutor... como sempre está de parabéns!!!!...
O TEATRAÇO - Teatro Amador de Tabuaço - agradece a...