Sábado, 11 de Junho de 2011

Um valor indissociável para que a sociedade funcione.
Dum modo geral adquirimos o hábito de exigir. Mas poucos se acham no dever da reciprocidade.

 

O respeito é um valor que não se exige, não se compra, nem é consequência de compensações, onde muitos acreditam que para respeitar apenas é importante ser respeitado. Sempre na teoria da contrapartida, troca, condição. Tal respeito dependente das atitudes externas foge à sua definição

O respeito adquire-se pela consciência que o próprio homem aprende ao longo da sua maturação.

O respeito resulta do reconhecimento da importância da vida racional, de todo o nosso meio envolvente, da própria civilidade.

O respeito é um dever do homem para consigo mesmo, mostrando com o evoluir do da sua forma de se relacionar com o mundo, a importância e o significado de tudo o que existe na Terra.

Respeitar é possuir o seu próprio espaço, construído à custa de procedimentos que revelam a maturidade do homem, mas é também aceitar o espaço alheio, observando e compreendendo as diferenças. Assim sendo, interage com o mundo que o envolve e adquire a consciência da importância dos vários cenários e caminhos, e consequentemente reconhece a importância do individual perante o contexto global, e que o todo é formado pelo conjunto dos diferentes intervenientes: é este um dos princípios do respeito.

Todavia o respeito não pode ser exigido, pois corresponde à evolução e civilidade do homem. Doutra forma surge apenas o temor e, tal, causará conflitos.

O temor, é a falta de reconhecimento de cada um frente as diferenças que regem a sociedade. A pessoa que se respeita não exige o respeito, pois sabe que o respeito é fruto natural da consciência que adquiriu. Apenas se distancia daqueles que ainda não tomaram consciência do que é o respeito, mostra o seu nível intelectual e destaca-se perante muitos, pois poderá servir de referência para muitos que procuram entender o que é o respeito.
A fácil ofensa por qualquer ambiguidade é o não reconhecimento do o seu espaço, ou a falta de descoberta do caminho para dignificar o seu valor.
Todavia respeito é o dever do cidadão pelo todo, é a consciência da importância do singular e do plural e a participação desinteressada na sociedade, e saber reconhecer as diferencias dos vários.

 

No mundo de hoje, muitos e muitos exigem, só falam de direitos, e não se acham no dever de prestar.

É claro que o respeito não se compra, nem se pode exigir, nem é o resultado de contrapartidas, em que muitos acreditam que é necessário respeitar apenas se for respeitado: é a lei da suposição, troca, condição.

Consequentemente o respeito é a consciência que o homem vai adquirindo permanentemente através da sua evolução: é o reconhecimento do valor da vida, do seu meio envolvente, e do ser humano. O respeito será portanto um dever, mas não do homem com o seu semelhante, mas do homem consigo mesmo, em constante evolução à medida que vai descobrindo o valor, a importância e o significado de tudo o que existe no espaço.


tags:

publicado por valores-do-douro-sul às 10:16 | link do post | comentar

António José Leitão Canotilho

Cria o teu cartão de visita
artigos recentes

Ciclovia do Dão - um perc...

As nossas crianças

Grupo de Cantares de Carr...

Ponte do Abade - procissã...

Aguiar da Beira - desfile...

Aguiar da Beira - feira d...

Paredes da Beira, uma luf...

Paredes da Beira, São Joã...

Vesúvio, Douro e o comboi...

RIODADES, a comemoração p...

Banda Filarmónica de Riod...

Riodades, a Procissão de ...

Vilar, Rancho folclórico ...

Atuação da Banda de Rioda...

Em Covelinhas, Régua e na...

A locomotiva a vapor A 18...

A ponte do comboio e os t...

2008 - Feira Aquilineana ...

Medalha de Ouro da Cidade...

Grupo de Cantares de Barc...

Nª Senhora do Sabroso - A...

Pinhão, Domingo 27-08-17,...

Faia

Identidade cultural de Vi...

Granja do Tedo, aldeia de...

Macieira, aldeia de Serna...

Cultura é Património - Gr...

Os nossos Velhinhos de Se...

A Régua, o Comboio em Cov...

A Estação do Tua e o Dour...

A identidade Cultural de ...

A festa do 15 de Agosto d...

O Douro e o comboio - da ...

Foz do Távora à Quinta da...

De Soutelo do Douro para ...

Covelinhas e Pinhão - o c...

1985 - Primeira Comunhão ...

A Primeira Comunhão e Com...

A primeira Missa do Sacer...

Rancho Folclórico de Arna...

A feira Aquiliniana da La...

Barqueiros, o Douro e o C...

Voltando às lagaradas de ...

Da estação da Alegria no ...

As Lagaradas de Celeirós ...

Linha férrea do Douro: da...

Favaios, festa vinhateira...

O Grupo de concertinas de...

O Vesúvio no Douro

Linha do Douro entre Arno...

tags

"grupo de cantares de s. miguel"

11 de setembro

1985 - comunhão em vila da ponte

a crise de valores

a estação de caminhos de ferro do vesúvi

a luta

a sé e a srª dos remédios

a vida

aguiar da beira desfile etnográfico

aguiar da beira feira atividades economi

alexandre fandino

alma feminina

almas do douro

alto da escrita

amigos

amizade

andar a pé

antónio cabral do douro

antónio canotilho

arcozelo da torre

armamar

arnas

as nossas crianças

associação de acordeonistas do távora e

atuação banda riodades 2008

banda de riodades

banda filarmónica de lalim

banda filarmónica de nagoselo do douro

banda filarmónica de pinhel

barco douro

barco moliceiro

barcos

barcos tabuaço

barqueiros e o douro

barragem de bagaúste

barragem do vilar

barragens do douro

bombos barcos

caça fotográfica

caminhar

cantadores de janeiras

cantadores de janeiras de s. marta de pe

caretos de bragança

carnaval de bragança

carnaval de lazarim

carrazeda de anciães

castelo

castelo de ourém

cavalhadas de vildemoinhos

ciclovia do dão

cidadania; civismo

coimbra e o mondego

coisas simples da vida

comboio a vapor

comboio a vapor do douro

comboio a vapor pinhão

comboio da rede à quinta das carvalhas

comboio do douro

comboio do douro foz do távora

comboio do douro quinta da romaneira

comboio histórico do douro

comboio miradouro no pinhão

comboio no ferrão; vapor no ferrão; vapo

comboio presidencial

comboio régua a lamego

comboio vapor

comunhão solene vila da ponte 2008

concertinas de riodades

concerto de amor

contadores de histórias do douro

douro

douro vinhateiro

farminhão

feiras novas

ferradosa

festa do 15 de agosto

festa vinhateira de barcos

folclore

grupo coral de barcos

grupo de cantares de constantim

grupo de cantares de fornelos

grupo de cantares de vila real

lamego

linha do douro

moimenta da beira

nossa senhora da agonia

orquestra ligeira câmara tarouca

penedono

pinhão

ponte de lima

procissão do mar

rancho folclórico do vilar

rede

ribeira do porto

santa marta de penaguião

são joão da pesqueira

sernancelhe

tabuaço

tuna de tabuaço

via sacra de ourém

todas as tags

arquivos
participar

participe neste blog

Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


mais sobre mim
links
blogs SAPO
comentários recentes
Eu gosto da sua contribuição, saudações
Ola eu sou a isabelle gonçalo e sou da bals...
Muitos Parabéns Dr. António Canotilho!!!De facto o...
Parabéns, Dr. Canotilho e mais uma vez obrigado pe...
Em nome do Grupo de Cantares de Fornelos, quero de...
Obrigado, muitos cumprimentos
Obrigado Dr Canotilho, será colocado no próximo do...
Boa tarde Sr Gabriel Obrigado pelas suas palavras,...
OláUm texto fantástico generoso pela partilha de c...
Parabéns pela página!Está estrondosamente linda e ...
Sondes tonos
E muito bonito
Olá Uma excelente e oportuna reflexão... um texto ...
O granjal e terra mais bonita nas tradisoes
Son una buena banda a mi parecer los escuche una v...
Sem palavras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Maravilhoso todo...
Obrigado.Vou avaliar e apreciar o seu blogCumprime...
Muito interessante este seu blog.:)
olá Sr. Doutor... como sempre está de parabéns!!!!...
O TEATRAÇO - Teatro Amador de Tabuaço - agradece a...