Sábado, 3 de Setembro de 2011

O Abade Vasco Moreira no seu livroTerras da Beira, Cernancelhe e o seu Alfoz editado em 1929 pronunciando-se sobre a gente de Sernancelhe no capítulo II, Parágrafo IV, pag. 47 refere:

“...O Cernancelhense é alto, corado, franco e leal: é o tipo do beirão, forte, amoroso, caritativo. Não tem aspirações demasiadas. Sóbrio, tenás e resistente ao trabalho, é também resignado e paciente...”

“...Mantêem-se nestas terras os usos e costumes tradicionais de toda a região; destes, o mais interessante é o comunitarismo agrário. A eira, o forno, o lagar e o moinho, são comuns...”

“...E, todavia, essa população é inteligente, com aptidões para as letras e sciências, como provam os que a elas se têm dedicado. Fala-se aqui, geralmente, com admirável correcção e pureza, a nossa língua, alindada até de termos e frases clássicas...”

 

Características que assim assinaladas retratam uma população com características peculiares, sentindo-se o laço da solidariedade a espelhar um perfil que se manteve vivo até ao período do 25 de Abril. Nas décadas seguintes houve uma desmedida transformação da sociedade, sobretudo uma fragmentação de muitos dos valores civilizacionais que o Abade Vasco Moreira caracterizava nesta população.

Não era só o associativismo agrário que nos caracterizava, mas muito mais... teatros populares nas aldeias tendo como figurantes o povo local, bailes domingueiros partilhados pelos jovens sob a observação atenta dos mais idosos, participação de todos nas festividades religiosas, conversas de lazer improvisadas à volta das fontes, no adro da Igreja, ou junto ao posto de telefone e correio, enfim... no mais pequeno recanto improvisava-se uma conversa salutar.

Nesses tempos passados, não se olhava a clubes ou divisas, embora a filosofia de cada um estivesse mais ou menos presente, essencialmente nos mais cultos.
Foi depois do 25 de Abril que se iniciou nalguns a mudança, onde muitos passaram a olhar mais para a divisa da camisola, do que propriamente para as pessoas e amigos.
Porém, perdura ainda por muitos o espírito da fraternidade e lealdade, ou seja, a pura ligação através de amizades pessoais e institucionais, que faz permanecer o fermento cultural sernancelhence, valor de união assaz importante. Uma virtude do homem que coloca o conterrâneo acima das ortodoxias.

Considero primário e com precariedade de cidadania as hostilidades clubísticas e emblemáticas que contrariam tantas vezes o valor humano e cultural do indivíduo. Tão agradável viver-mos com diferente opiniões e emblemas, para assim no todo poder-mos deliberar decisões em plena harmonia com a sociedade.

Complemento as palavras do Abade Vasco Moreira: o Sernancelhence, como beirão que é “franco e leal” ,“ forte, amoroso” possui um valioso património afectivo escondido na personalidade, gosta da proximidade e timidamente procura o bom relacionamento. Tendencialmente gosta da organização.

Porém, como efeito dominó da “crise de valores” a prevalecer na sociedade, em Sernancelhe, também se sente a conjuntura da instabilidade da afectividade e do associativismo.
Realço dois contextos:
-A importância das Instituições que têm uma função social a não lhes ser dado o merecido reconhecimento, e cujo objectivo final é o bem estar populacional duma forma global, sobretudo dos mais incapacitados e dos idosos.
-Associações importantes, nomeadamente recreativas em que se perdeu a motivação nas direcções, que até então outorgavam prestígio social.

 

É terrível, vemos decadência e extinção de associações culturais e recreativas, e progressivamente, os “bons homens” a afastarem-se da colectividade.

E o futuro que nos promete? Em muitos perdura a ideia da continuidade do fenómeno de desertificação.

Todavia há ainda muita boa gente a pensar no valiosíssimo património humano e cultural que possuímos,no valiosíssimo encanto arquitectónico do passado e na grande diversidade encantadora da natureza geográfica.


Assim sendo há condições para investimento no turismo, e possibilidade em receber muitos que se encontram saturados do ambiente citadino.


Desta forma poder-se-ão então criar pólos  atractivos e de fixação no Concelho, basta que usemos a filosofia com que o Abade Vasco Moreira nos caracterizou.

Nesta foto, ao centro, Luis Canotilho, artista, licenciado em Belas Artes, natural de Sernancelhe



publicado por valores-do-douro-sul às 09:08 | link do post | comentar

António José Leitão Canotilho

Cria o teu cartão de visita
artigos recentes

Rancho Folclórico de Arna...

A feira Aquiliniana da La...

Barqueiros, o Douro e o C...

Voltando às lagaradas de ...

Da estação da Alegria no ...

As Lagaradas de Celeirós ...

Linha férrea do Douro: da...

Favaios, festa vinhateira...

O Grupo de concertinas de...

O Vesúvio no Douro

Linha do Douro entre Arno...

Homens de Portugal

Os Bailes

A Roga de Provesende

A festa vinhateira de Bar...

Grupo Musical Duriense "A...

Grupo de tocadores de con...

O Grupo de Cantares de Ba...

Esta noite é de Janeiras ...

Cantadores de Janeiras de...

Cantadores de Janeiras de...

Cantadores de Janeiras de...

Cantadores de Janeiras de...

Cantadores de Janeiras de...

Jazz - tributo a Benny Go...

Marcha do concelho de Tab...

O Hino da Banda de Sendim...

Banda Filarmónica de Lal...

Tuna de Tabuaço - interpr...

Património Imaterial do D...

Um casal bem disposto - a...

Coro da Santa Casa da Mis...

O Grupo de Cantares de Ba...

Os bombos e Gigantones na...

Primavera no Vale da Ferr...

O Douro e a Orquestra lig...

O Douro e a Orquestra lig...

O comboio histórico do Do...

A orquestra de Medrões e ...

Venham visitar o nosso Do...

Um passeio de eléctrico n...

Ourém, a Via Sacra - 2ª p...

Ourém, a Via Sacra - 1ª p...

Um passeio pela Régua, Co...

O grupo de cantares de Fo...

O Inverno na Barragem de ...

A Queima do Diabo em Brag...

O Carnaval dos caretos em...

As rusgas nas Feiras Nova...

Feiras Novas em Ponte de ...

tags

"grupo de cantares de s. miguel"

11 de setembro

a crise de valores

a estação de caminhos de ferro do vesúvi

a luta

a sé e a srª dos remédios

a vida

accordeonista

alexandre fandino

alma feminina

almas do douro

alto da escrita

amigos

amizade

andar a pé

antónio cabral do douro

antónio canotilho

arcozelo da torre

armamar

arnas

associação cultural rio távora

associação de acordeonistas do távora e

banda filarmónica de lalim

banda filarmónica de nagoselo do douro

banda filarmónica de pinhel

barco douro

barco moliceiro

barcos

barcos tabuaço

barqueiros e o douro

barragem de bagaúste

barragem do vilar

barragens do douro

bombos barcos

caça fotográfica

caminhar

cantadores de janeiras

cantadores de janeiras de s. marta de pe

cantigas populares

caretos de bragança

carnaval de bragança

carnaval de lazarim

carrazeda de anciães

castelo

castelo de ourém

cavalhadas de vildemoinhos

ciclovia do dão

cidadania; civismo

coimbra e o mondego

coisas simples da vida

comboio a vapor

comboio a vapor do douro

comboio do douro

comboio histórico do douro

comboio régua a lamego

comboio vapor

concertinas de riodades

concerto de amor

contadores de histórias do douro

coração do porto

coro santa casa misericórdia matosinhos

covelinhas

covelinhas e pinhão

crueldade

cultura no douro sul; turismo no douro s

douro

douro vinhateiro

farminhão

feira aquilineana da lapa

feiras novas

ferradosa

festa vinhateira de barcos

festas

folclore

granjal

grupo coral de barcos

grupo de cantares de constantim

grupo de cantares de fornelos

grupo de cantares de vila real

hino

lamego

linha do douro

moimenta da beira

nossa senhora da agonia

nossa senhora do sabroso

orquestra ligeira câmara tarouca

penedono

pinhão

ponte de lima

procissão do mar

rede

ribeira do porto

riodades

santa marta de penaguião

são joão da pesqueira

sernancelhe

tabuaço

tuna de tabuaço

via sacra de ourém

vila da ponte

todas as tags

arquivos
participar

participe neste blog

Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
links
blogs SAPO
comentários recentes
Ola eu sou a isabelle gonçalo e sou da bals...
Muitos Parabéns Dr. António Canotilho!!!De facto o...
Parabéns, Dr. Canotilho e mais uma vez obrigado pe...
Em nome do Grupo de Cantares de Fornelos, quero de...
Obrigado, muitos cumprimentos
Obrigado Dr Canotilho, será colocado no próximo do...
Boa tarde Sr Gabriel Obrigado pelas suas palavras,...
OláUm texto fantástico generoso pela partilha de c...
Parabéns pela página!Está estrondosamente linda e ...
Sondes tonos
E muito bonito
Olá Uma excelente e oportuna reflexão... um texto ...
O granjal e terra mais bonita nas tradisoes
Son una buena banda a mi parecer los escuche una v...
Sem palavras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Maravilhoso todo...
Obrigado.Vou avaliar e apreciar o seu blogCumprime...
Muito interessante este seu blog.:)
olá Sr. Doutor... como sempre está de parabéns!!!!...
O TEATRAÇO - Teatro Amador de Tabuaço - agradece a...
Um registo que apazigua as saudades de alguns do l...