Quarta-feira, 04.01.12

Lamego, janela aberta para o Douro, envolta por vinhedos, oferece ao visitante três tentadoras delícias: o espumante da Raposeira, as deliciosas bolas de carne e o tentador presunto.

Lamego,  uma das primeiras cidades de Península Ibérica, foi ao longo dos séculos ocupada por Romanos, Suevos, Visigodos e Árabes.
Foram os Suevos e Visigodos que instituíram nesta cidade o Bispado, duradouro até hoje, mesmo com as vitórias e conturbadas derrotas dos Cristãos.

A Sé de Lamego, grandioso templo Romano,  possui um traço imponente e ríspido, de uma fortaleza cerrada e desmedida.

Lamego é Santuário e Alma da região do Douro  Sul, onde se centraliza toda a sabedoria e religiosidade cristã adquirida pela população ao longo dos séculos.

O Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, grandiosa construção moldada em granito a 600 metro de altitude, possui uma monumental escadaria Barroca e Via Sacra com mais de 700 degraus.


O panorama a partir do Santuário é privilegiado: visualizamos a Cidade o Castelo de Lamego, e ao longe, as montanhas do Douro em território de Armamar.



publicado por valores-do-douro-sul às 20:06 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.03.10

 




O Carnaval Lazarim em Lamego atrai neste
território
do Douro Sul anualmente
centenas e centenas de pessoas, as mais
admiradoras da verdadeira cultura
tradicional,ou seja as raízes e valores do nosso Portugal, pouco lhes dizendo as festividades brasileiras importadas do samba.

Carnaval de Lazarim 2010 - parte 1 .

 

 

 

É em Lazarim de Lamego, que correm pelas ruas nesta quadra, os caretos, máscaras muito tradicionais esculpidas à mão pelos artesãos da aldeia em madeira de amieiro.

Os caretos aparecem expontâneamente na terça-feira de carnaval pelas diversas ruas da aldeia, em direcção à praça principal.

Novas máscaras todos os anos esculpidas s pelos artesãos, que se vão adicionando às dos anos anteriores.

Carnaval de Lazarim 2010 - parte 2 .

 

 

 

Na Terça-feira encena-se o conflito entre comadres e compadres, com um desafio verbal entre um rapaz e uma rapariga.

Cada um faz a leitura dos testamentos dos referidos compadres e das comadres, versos compostos em segredo e de crítica aos jovens do sexo oposto. Mandam as regras que só os solteiros possam criticar e só eles sejam alvo de chacota. Do testamento consta a imaginária distribuição de um burro ou burra, que a imaginação divide, cabendo a cada um o órgão ou parte que mais se adequa ao "defeito" que lhe é enunciado. Todas, mesmo todas, as partes do animais são atribuídas, no meio de quadras que nem sempre dissimulam os palavrões.

Carnaval de Lazarim 2010 - parte 3 .

 

O povo está junto para a leitura aos ouvidos de todos, dos dois testamentos.

Depois da leitura do testamento segue-se a queima da comadre e do compadre, dois bonecos que dançam impulsionados pelo rastilho dum foguete e depois estoiram após a detonação dum pequena bomba artisanal colocada no seu anterior. Esta manifestação de fogo destina-se a expulsar os maus pensamentos e purificar as mentes.

Segue-se um ponto alto do evento: o concurso da melhor mascara e da vestimenta mais artística. Para a entrega dos prémios, são escolhidas as figures ilustres e simbólicas da aldeia e do concelho.

Carnaval de Lazarim 2010 - parte 4 .

 

 

 

Ao caír da noite, há o caldo de farinha e feijoada para todos os que assistiram ao evento, oferecidos pelo povo da aldeia, que se divide pelo bairro da Vila e do Padrão, em disputa para ver quem tem melhor manjar.

Carnaval de Lazarim 2010 - parte 5 .

 

------------------------------------------------------------

Alguns dos artesãos das máscaras de Lazarim

 

Alguns artesãos executam os seus trabalhos no final da labuta do trabalho diário para dar continuidade à tradição dos caretos de madeira executados essencialmente para os habitantes que saiem à rua mascarados.
Alguns artesãos fazem, secretamente, a máscara que irão usar para surpreender o povo na terça feira de festa.

 

Ficha identificadora de artesão

Adão de Castro Almeida

13/10/1962 - Lazarim / Lamego

Telef./ Telem. 967090654

Av. Liga dos Melhoramentos / Lazarim

5100-584 Lazarim

Lamego

Máscaras de madeira de amieiro.

- Filho de Agricultores de Lazarim.

- Tem como habilitações o 2º ciclo do ensino básico

- Artesão rural com ligação aos rituais do Carnaval.

- Iniciou a realização de máscaras de amieiro em 1985 com 23 anos.

- É calceteiro de profissão na Câmara Municipal de Lamego.

- Comercializa as máscaras entre 200€ e 500€.

Equipamentos:

Formões, goivas, grosas, enchó. Não utiliza instrumentos eléctricos.

Utiliza uma pequena banca de carpinteiro realizada pelo próprio. Possui uma quantidade razoável de formões e outros instrumentos manuais de carpintaria.

O sue local de trabalho é na sua pequena adega, onde expõe as máscaras disponíveis para venda.

Apreciação estética:

Média ergonomia.

Óptima qualidade e de acabamento.

Demonstra grande capacidade para caricaturar figuras principalmente públicas, como Álvaro Cunhal, Mário Soares, Pinto da Costa, etc.

As máscaras realizadas geralmente assumem uma dimensão maior (possuem o dobro do tamanho da máscara normal.

Representa muito pormenores e aspectos decorativos.

Aborda uma temática ligada à representação nas máscaras de sardões, cobras.

Tem preferência pela representação do tema do diabo.

É o único artesão que utiliza tintas. Apenas o preto para pintar uma pêra, um bigode ou umas sobrancelhas.

Nas máscaras de madeira não utiliza tintas ou qualquer tipo de protecção contra o bicho da madeira pelo que ficam muito vulneráveis.

Participa em exposições de artesanato a convite da região de turismo, da câmara municipal e de outras instituições públicas.

Estudo realizado em Abril de 2006 por Luis Canotilho

identificadora de artesão

Afonso Almeida Castro

30/10/1925 - Lazarim / Lamego

Telef./ Telem. 966731884

Rua do Município / Lazarim

5100-584 Lazarim

Lamego

Máscaras de madeira de amieiro.

- Filho de Agricultores de Lazarim.

- Embora saiba ler e escrever com dificuldade não frequentou a escola.

- Artesão rural com ligação aos rituais do Carnaval.

- Iniciou a realização de máscaras de amieiro em 1941 com 16 anos.

- Em 1950 foi viver para o Brasil onde esteve durante 21 anos ligado ao mar. Não se adaptando ao clima quente regressou a Portugal em 1971, deixando no Brasil a mulher, filhos e netos. Vicie sozinho.

- Comercializa as máscaras entre 175€ e 200€.

Equipamentos:

Formões, goivas, grosas, enchó, etc.

Não utiliza instrumentos eléctricos.

Utiliza uma pequena banca de carpinteiro realizada pelo próprio. Possui uma quantidade razoável de formões e outros instrumentos manuais de carpintaria.

O sue local de trabalho é na sua pequena adega e com pouco espaço, onde expõe as máscaras disponíveis para venda.

Apreciação estética:

Boa ergonomia.

Óptima qualidade e de acabamento.

Demonstra grande capacidade de representação formal, tentando retratar pessoas sem estabelecer a sua caricatura.

Representa muito pormenores e aspectos decorativos como brincos de mulher, etc.

Também aborda a temática erótica nas máscaras.

Tratam-se de máscaras leves para a sua utilização durante o dia todo.

Não usa qualquer tipo de tintas.

Nas máscaras de madeira não utiliza tintas ou qualquer tipo de protecção contra o bicho da madeira pelo que ficam muito vulneráveis.

Participa em exposições de artesanato a convite da região de turismo, da câmara municipal e de outras instituições públicas.

Já obteve mais de 40 prémios.

Estudo realizado em Abril de 2006 por Luis Canotilho

Ficha identificadora de artesão

José António da Silva Costa (Costinha)

28/07/1973 – Vila Nova de Gaia / Porto

Telef./ Telem. 254698429 / 962560456

Av. Liga dos Melhoramentos / Lazarim

5100-584 Lazarim

Lamego

Máscaras de madeira de amieiro.

- Filho de família de Carpinteiros de Lazarim que vai até ao seu avô que era especialista na construção dos moinhos de água.

- Tem como habilitações o 2º ciclo do ensino básico

- Artesão rural com ligação aos rituais do Carnaval.

- Iniciou a realização de máscaras de amieiro em 1995 com 12 anos.

- É fabricante de móveis em Lazarim, pelo que é carpinteiro de profissão.

- Comercializa as máscaras entre 100€ e 200€.

Equipamentos:

Devido à sua profissão tem todo o tipo de equipamentos e máquinas necessárias à realização de máscaras. O mesmo se passa com o espaço de trabalho.

Utiliza instrumentos eléctricos, embora prefira a realização manual na execução das máscaras.

Utiliza um pequeno banco onde trabalha.

O seu local de trabalho é a carpintaria.

Apreciação estética:

Óptima ergonomia.

Óptima qualidade e de acabamento.

As máscaras realizadas são extremamente finas e leves.

Tem preferência pela representação do tema do diabo.

Não utiliza tintas, protecções ou vernizes existentes em quantidade na sua carpintaria.

Participa em exposições de artesanato a convite da região de turismo, da câmara municipal e de outras instituições públicas.



publicado por valores-do-douro-sul às 21:09 | link do post | comentar

António José Leitão Canotilho

Cria o teu cartão de visita
artigos recentes

Lamego

O Carnaval de Lazarim 201...

tags

"grupo de cantares de s. miguel"

11 de setembro

a crise de valores

a estação de caminhos de ferro do vesúvi

a luta

a sé e a srª dos remédios

a vida

accordeonista

alexandre fandino

alma feminina

almas do douro

alto da escrita

amigos

amizade

andar a pé

antónio cabral do douro

antónio canotilho

arcozelo da torre

armamar

arnas

associação cultural rio távora

associação de acordeonistas do távora e

banda filarmónica de lalim

banda filarmónica de nagoselo do douro

banda filarmónica de pinhel

barco douro

barco moliceiro

barcos

barcos tabuaço

barqueiros e o douro

barragem de bagaúste

barragem do vilar

barragens do douro

bombos barcos

caça fotográfica

caminhar

cantadores de janeiras

cantadores de janeiras de s. marta de pe

cantigas populares

caretos de bragança

carnaval de bragança

carnaval de lazarim

carrazeda de anciães

castelo

castelo de ourém

cavalhadas de vildemoinhos

ciclovia do dão

cidadania; civismo

coimbra e o mondego

coisas simples da vida

comboio a vapor

comboio a vapor do douro

comboio do douro

comboio histórico do douro

comboio régua a lamego

comboio vapor

concertinas de riodades

concerto de amor

contadores de histórias do douro

coração do porto

coro santa casa misericórdia matosinhos

covelinhas

covelinhas e pinhão

crueldade

cultura no douro sul; turismo no douro s

douro

douro vinhateiro

farminhão

feira aquilineana da lapa

feiras novas

ferradosa

festa vinhateira de barcos

festas

folclore

granjal

grupo coral de barcos

grupo de cantares de constantim

grupo de cantares de fornelos

grupo de cantares de vila real

hino

lamego

linha do douro

moimenta da beira

nossa senhora da agonia

nossa senhora do sabroso

orquestra ligeira câmara tarouca

penedono

pinhão

ponte de lima

procissão do mar

rede

ribeira do porto

riodades

santa marta de penaguião

são joão da pesqueira

sernancelhe

tabuaço

tuna de tabuaço

via sacra de ourém

vila da ponte

todas as tags

arquivos
participar

participe neste blog

Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
links
blogs SAPO
comentários recentes
Ola eu sou a isabelle gonçalo e sou da bals...
Muitos Parabéns Dr. António Canotilho!!!De facto o...
Parabéns, Dr. Canotilho e mais uma vez obrigado pe...
Em nome do Grupo de Cantares de Fornelos, quero de...
Obrigado, muitos cumprimentos
Obrigado Dr Canotilho, será colocado no próximo do...
Boa tarde Sr Gabriel Obrigado pelas suas palavras,...
OláUm texto fantástico generoso pela partilha de c...
Parabéns pela página!Está estrondosamente linda e ...
Sondes tonos
E muito bonito
Olá Uma excelente e oportuna reflexão... um texto ...
O granjal e terra mais bonita nas tradisoes
Son una buena banda a mi parecer los escuche una v...
Sem palavras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Maravilhoso todo...
Obrigado.Vou avaliar e apreciar o seu blogCumprime...
Muito interessante este seu blog.:)
olá Sr. Doutor... como sempre está de parabéns!!!!...
O TEATRAÇO - Teatro Amador de Tabuaço - agradece a...
Um registo que apazigua as saudades de alguns do l...